Professores do EJA divulgam nota de repúdio contra a exigência de retorno às aulas presenciais nesta segunda-feira

Professores do EJA divulgam nota de repúdio contra a exigência de retorno às aulas presenciais nesta segunda-feira

A direção do CEJA impôs o retorno às atividades presenciais nos três turnos, a partir desta segunda-feira (12)

A determinação se dá contra a orientação da Secretaria de Educação. Veja a nota:

Nota de Repúdio

O movimento de educadores de Jovens e Adultos (EJA), manifesta publicamente a forma acintosa da Direção da Escola CEJA (centro de Rio Branco), que impôs o retorno as atividades presenciais dos educadores nos três turnos a partir de segunda feira dia 12/07/2021.
Este retorno foi decidido pela Direção da Escola, contrariando informação da Secretaria de Educação que “que não há imposição, nem orientação para que todos os educadores estejam na escola ao mesmo tempo”.
Essa não e primeira, a Direção não permitiu que os profissionais aderissem a greve da educação (2021), mesmo sendo um direito previsto na Constituição Federal Ar 9º: "É assegurado o direito de greve”. Isso ocorreu porque a maioria tem contrato provisório e portanto, poderiam ser demitidos se desobedecem.
Os educadores já estão cumprindo suas obrigações, planejando e lecionando utilizando inclusive internet, computadores e telefones que são uso pessoal, já que quase um ano e meio depois da pandemia a Secretaria de Educação não ofereceu alternativas para todos os educadores e alunos pudessem assistir as aulas.
Os profissionais de educação ainda não receberam a segunda dose da vacina, e portanto, não estão imunizados contra a covid 19. E considerando que os alunos comparecem a escola para receber e entregar textos. Sem que a escola adote rotinas de segurança para receber os estudantes, ampliando ainda mais o risco de contágio.
Vale ressaltar que o CEJA é a única que obriga a cumprir o horário na instituição de ensino por mera imposição, mesmo sem as devidas condições de tecnologia da informação e segurança sanitária conforme determina a Resolução do CEE/AC n° 179/2021.
Queremos ser tratados com respeito, precisamos ser imunizados para ter o mínimo de segurança, precisamos dos equipamentos e internet, significa que estamos exigindo condições de trabalho...
Menos cobrança e mais apoio a maior classe de profissionais do Estado do Acre.
Educadores de EJA do Estado do Acre
Imagem Ilustrativa- Consed
Comente no Acre in foco usando sua conta no Facebook
Follow us on Social Media