Apesar do aumento do PIB a miséria aumenta no Brasil: metade da população vive com 400 reais/mês

Apesar do aumento do PIB a miséria aumenta no Brasil: metade da população vive com 400 reais/mês

Renda média per capita de 110 milhões de brasileiros é abaix0 de R$ 400 reais

O crescimento de 1,2% no PIB, registrado no primeiro trimestre deste ano não significa absolutamente nada em termos de melhoria para a população de um modo geral.
O cálculo do Produto Interno Bruto mascara a desigualdade social crescente. Ele se baseia na soma de todos os produtos e serviços finais produzidos no país. O PIB per capita é obtido pela divisão do PIB do país pelo número de habitantes. O resultado é o mesmo valor em R$ para milionários e miseráveis.
Em números reais o Brasil tem em 2021, 110 milhões de pessoas vivendo com menos de R$ 400/mês. Metade da renda da Nigéria. R$ 400/mês equivale a renda de países como o Haiti (o país mais pobre das Américas) e de Mianmar (um dos mais pobres do Sudeste Asiático).
110 milhões de pessoas é mais que a população da Alemanha, Suiça, Suécia e Dinamarca, juntas. O que significa que temos dentro do Brasil, um Haiti do tamanho populaçional de 4 países.
A renda média do brasileiro empregado que era de mais de R$1,2 mil em 2017, caiu para 1.065 reais em 2021. A inflação atingiu seu maior valor para um mês de maio desde 1996. A inflação em 10% significa que quem possuía 100 reais em junho do ano passado, agora tem 90 reais.
A inflação elevou os preços alterando os hábitos alimentares também da maioria dos outros  100 milhões de brasileiros restantes: a salsicha substituiu a carne. Um estudo da Universidade de Berlim apontou que o ovo foi o alimento com maior aumento no consumo pelos brasileiros na pandemia, com 18,8%. O consumo de carne teve queda de 44%.
A gasolina ficou 45% mais cara em um ano e os salários estão congelados.
A doutora em Demografia, Luísa Cardoso Guedes de Souza, afirma que o Brasil voltou ao mapa da fome em 2018 (governo Temer) e que o aumento da pobreza é maior entre mulheres e negros: “Apesar do aumento do PIB no primeiro trimestre de 2021, o consumo das famílias não acompanhou esse crescimento. O aumento da pobreza no Brasil reflete as desigualdades regionais, raciais e de gênero no país”.
Vale ressaltar que em 2020, o PIB brasileiro teve uma queda de 4,1%, portanto o crescimento de 1,2% não atingiu sequer a metade do que foi perdido no ano anterior.
Foto- Mais Goiás

 

Comente no Acre in foco usando sua conta no Facebook

Veja também

”O Brasil está abandonado”, diz Leo de Brito em discurso na Câmara dos Deputados

”O Brasil está abandonado”, diz Leo de Brito em discurso na Câmara dos Deputados

Share on Twitter Share on Facebook Share on LinkedIn Share on Email Share on WhatsApp …

perpetua

Perpétua integra Frente Parlamentar de Apoio aos Trabalhadores Informais, Camelôs e Ambulantes

Share on Twitter Share on Facebook Share on LinkedIn Share on Email Share on WhatsApp …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Follow us on Social Media