marcio bittar
Marechal Thaumaturgo

PSDB do Acre parece definido com Márcio Bittar, mas nacionalmente permanece indefinido

Em um vídeo que circula nas redes sociais, aparece o presidente da Executiva Nacional do PSDB, Bruno Araújo, com o presidente estadual do partido Manoel Correia (Correinha). Nele, Bruno Araújo afirma que o Acre é uma das prioridades do partido e fala em montar uma chapa competitiva de candidatos à Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa do Estado.

A ala descontente dentro do partido no Acre,questiona a declaração de Bruno Araújo no vídeo. Eles afirmam que o Acre nunca foi prioridade para a nacional, nem quando tinha uma deputada federal: "A prioridade sempre foi São Paulo e Minas Gerais. Tanto que historicamente elegeram quase 100% dos candidatos a prefeito de São Paulo".

 No Acre, a  princípio, os tucanos apoiarao a reeleição do governador Gladson Cameli, mas a proximidade maior é com o senador Márcio Bittar (MDB). A foto que ilustra a matéria, foi tirada em Marechal Thaumaturgo e mostra o presidente do PSDB, Correinha, junto com o casal Bittar e o Secretário Adjunto de Educação, Moisés Diniz. Diniz, que se filiou ao PP ao sair do PCdoB, é o atual presidente do Solidariedade. Posição alcançada com a ajuda de Márcio Bittar.

marcio bittar
Marechal Thaumaturgo

O senador medebista não faz segredo que conta com 5 partidos no apoio a candidatura de Márcia Bittar ao senado. Entre eles, o PSDB. Os demais são: Solidariedade de Moisés Diniz, Republicanos do filho de Márcio, PTB, da amiga Charlene Lima, e o PSL de seu antigo funcionário Pedro Valerio. O MDB, partido do senador, reluta em apoiá-lo na aventura política e se for, vai rachado.

A incógnita é para onde ira esse grupo caso o indócil  PP não abra mão da candidatura da senadora Mailza Gomes- vai abandonar Marcio Bittar ou Gladson Cameli (PP)?

Em âmbito nacional, a disputa interna entre os 4 pré-candidatos à presidência da República está acirrada. O partido não conseguiu chegar a um entendimento sobre as regras que guiarão a escolha do nome nas prévias tucanas marcadas para novembro.

Tentam a vaga o governador de São Paulo, João Doria, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, o ex-governador do Ceará e senador Tasso Jereissati e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio. Jereissati é o preferido do ex-presidente FHC.  Leia Aqui

A ala descontente é grande. Nos bastidores, a informação é que metade da bancada federal já possui destino certo quando abrir a janela para mudar de partido.

 

Comente no Acre in foco usando sua conta no Facebook
Follow us on Social Media